segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Os Frutos do Verão

A caminho da casa de meu pai pude observar a manga e a mangaba, o caju de várias cores e tamanhos, a seriguela, o coco... 
Nessa época quente e a aridez do solo potiguar também existe muita beleza nesse período do ano. O solo seco com pouca água, porém com árvores frondosas com seus frutos brilhantes ao sol;e outras, só resistindo e existindo.
Deus mostra através da sua criação que os frutos surgem no deserto, algumas árvores por sua força conseguem acumular água e dão frutos grandes,belos e saborosos; já outras,
que apenas resistem, dão frutos mirrados
e sem gosto. Porque na seca, algumas árvores souberam aproveitar a água da chuva, aprofundaram suas
raízes e outras, mesmo estando a beira do rio
dão frutos pobres em tamanho e brilho.
Meu conhecimento nessa área é pouco, mas o aplico
a vida cristã, cristãos que ao andarem por
desertos voltaram com frutos espirituais
que contagiaram outros ao amadurecimento;
que antes, talvez, não surtiriam tanto impacto.
Outros só estão suportando como árvores fracas
não conseguem produzir bons frutos.
Por isso é preciso ficar
cheios da palavra de Deus
e em oração incessante para resistir,
sobreviver,e frutificar no deserto.


sábado, 18 de dezembro de 2010

Oração, os SEIS certos.


 
Em nossos dias, cristãos e não-cristãos têm se refugiado em diversas soluções e antídotos que possam amenizar ou terminar com o sofrimento. Buscando com avidez a solução instantânea de seus problemas.
Sabemos que para os vários dilemas da humanidade existe uma solução, uma esperança. Mas ela tem “resolvido” suas angústias, preocupações e tristezas com alternativas medicamentosas (ansiolíticos, calmantes) como o primeiro e único recurso para superação dos entraves da vida.
Estudos têm demonstrado que esses medicamentos quando largamente utilizados, superando o uso de analgésicos e entre outros medicamentos comuns, revelam como muitas pessoas e inclusive cristãos tem enfrentado seus problemas; perdendo o fio da meada, esquecendo, o principal, de buscar em oração a Deus o reconhecimento de causas e a solução de seus problemas.
Muito de nossos problemas quer sejam pecados, perdas, fracassos, desânimo, doenças são resolvidos e amenizados pelo a atitude direta de nosso relacionamento com Deus através da oração. Porque é pela oração que conversamos, colocamos nossas queixas, nossos desejos e ansiedades, expomos todos os dilemas diante de Deus.
Na Enfermagem, a profissão da arte e ciência do cuidar, quando um paciente usa um medicamento administrado por um profissional de enfermagem, este toma seis precauções básicas antes de administrar tal medicamento, chamado dos SEIS CERTOS. Os seis certos são: o NOME do medicamento certo, PACIENTE certo, VIA certa (intramuscular, oral, endovenosa, intradérmica, intraóssea), HORA certa, DOSE certa, PRESCRIÇÃO certa; esses itens, são memorizados para nunca serem esquecidos e revisto a cada administração, além de atentar para o diagnóstico do paciente, suas alergias, dosagens normais do medicamento, resposta esperada, reações adversas e contra-indicações com o objetivo de não cometer erros que prejudiquem mais ainda a saúde ou a vida do indivíduo doente.
Os SEIS CERTOS os comparo com a nossa vida cristã de oração, o remédio primordial para  as enfermidades da alma.
·         O NOME certo, a oração, que deve ser lembrado quando a vida está atribulada ou quando a vida está transbordante de alegria ( Lc 18.1);
·         A VIA certa, o caminho certo quando o coração angustiado e “em nosso quarto em secreto” falamos como filhos ao nosso Pai amoroso e gracioso expondo nossas aflições e pecados ( Mt 6.6-8);
·         A HORA certa, quando os problemas nos sufocam, atormentando a vida, tirando a paz e apagando a alegria; ou quando alegria inunda o dia, é momento de agradecer (Ef 6.18);
·         A DOSE certa, quando o dever de orar sem cessar deve ser lembrado e obedecido, e quantas vezes forem necessário mesmo quando não há vontade de fazê-lo (I Ts 5.17);
·         A PRESCRIÇÃO certa, a Palavra de Deus, observando o que Deus tem prescrito para nós em sua palavra nos dando conforto, paz, regozijo, direção e esperança (Sl 61.5-8, Lam 3.21, Jr 23.23; 28.11-13,31.3).
·         O PACIENTE certo, quando nós, familiares, amigos, vizinhos e irmãos em Cristo são o motivo da nossa oração e com atitude de gratidão a Deus  por tudo que nos tem feito e até por nos permitir passar pelos desertos (Tg 5.13,16; Mt 6.9).

Lembrando sempre de diagnosticar a causa real de nossos problemas, sendo sinceros com Deus quando orarmos; lembrando-se das nossas alergias, do que realmente tem nos incomodado, o que nos faz mal e tem comprometido o relacionamento com Deus. Observando, as dosagens normais, as frequências de nossas orações, a profundidade e a superficialidade delas; aguardando com paciência a resposta esperada da vontade de Deus (Mt 6.10).
Atentando ainda às reações adversas das nossas orações que precipitadamente só conseguimos ouvir nossa voz e não entendemos a de Deus e tomamos a direção e decisão errada; sabendo de que, não há contra-indicação não importa idade, ou situação que nos encontremos, a oração nos aproxima de Deus e ela transforma e acalma o espírito. Sendo este o meio principal para a cura dos infortúnios da vida do cristão (Mt 6.33).
Certamente, há situações em que remédios são usados para tratar diversas  doenças inclusive a psíquica, mas eles são apenas coadjuvantes, atuando de modo temporário e somente a oração, o potente e precioso medicamento, é capaz de agir na solução da enfermidade da alma; porque o viver dos cristãos dependem da conversa sincera com o Pai celeste quer estejam sãos ou doentes.
Orai sem cessar ( I Ts 5.17).


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

ISSO É UMA URGÊNCIA!!!!




Ah, quanto se ouve em uma emergência esse tipo de frase!!!! A escuto, principalmente, dos familiares do acidentado, do agredido, ou daquele que chega com “derrame”, mais que da própria equipe profissional envolvida na assistência.
Parece um ecoar quase inaudível diante de tanta coisa a se fazer em uma urgência e emergência de grande complexidade; muitas vezes, ao priorizar o atendimento dos pacientes selecionamos aqueles que necessitam mais dos primeiros cuidados, sempre uma difícil escolha porque temos que priorizar a assistência e ouvimos “ isso é uma urgência” ao responder que todos o são, porém, temos que dá atenção primeiro aos que estão entre a vida e a morte. A justificativa não resolve o sentido de insatisfação ao cuidado prestado, e nunca poderemos resolvê-lo totalmente. Muito pode ser feito se cada profissional doar um pouco de si, porém impera sentimento de descontentamento geral com gestores, com o modo público de administrar.
Vi, ainda vejo, excelentes profissionais se omitindo de prestar um atendimento de excelência por encontrar-se desanimados com o sistema ou com si mesmos. Mas, há os remanescentes que com brio atendem ao paciente como um indivíduo pleno até em sua morte.
Para aqueles que continuam a resistir no labutar de uma emergência, digo: sobrevivam até que o socorro chegue!
Atualmente, essa emergência da qual escrevo e também trabalho deveria comportar mais ou menos 90 leitos, no entanto, tem número variável de menos para mais de 240 pacientes internados, diariamente, dos quais se encontram necessitando de urgente atendimento quer seja  de uma cirurgia especializada, de UTI, de observação específica quer do próprio atendimento inicial ao politraumatizado.

sábado, 11 de dezembro de 2010

FORTE COMO UM MENINO

A vida terrena é cheia de obstáculos, de dificuldades, de quedas, de choro, de angústias sem fim. Que nos exige maneiras intermináveis de lutar para obter vitória em cada batalha,em cada obstáculo; parece uma guerra interminável onde só há um perdedor, eu. Mas, ao olhar para o alto, e ao contemplar o infinito, vejo um Deus que luta por mim, não estou só!
Quando as forças estão a fraquejar, é Ele que me traz o raio de esperança, e assim vejo um futuro lindo e vitorioso; e aprecio, no imaginário, o lar celestial, a cidade do meu Deus, lugar de paz e satisfação perene, sem choro nem lágrimas, sem aflição... enfim, meu lar.
E a esperança se renova...porque Ele é a minha força, meu general. Ele refaz minha armadura, me levanta do chão e do pó, continuo a lutar! E serei para sempre vencedor, pois "é ele que me levanta se estou só"! 
Ao enfrentar desafio que não posso lutar sozinha lembro também dessa música.

video